março 29, 2016

Salvador, 467 anos de amor

by , in
Às vezes podemos não perceber, mas criamos dentro de nós, raízes e sentimentos provenientes do lugar em que nascemos.

Minha cidade, provavelmente para você que está lendo, a sua também, é a verdadeira raíz desse país. Onde nasceu o Brasil.

Essa postagem é em homenagem à minha casa, Salvador, que hoje, dia 29 de março, completa mais um ano de vida. 467 anos muito bem vividos!
Confesso que demorei a dar o valor merecido à este berço de que vos falo agora. Quando começamos a amadurecer, crescer, "adolescer", costumamos ver o lado ruim de tudo. Depois que a fase de transição passa, passamos a ver só o lado bom do que nos cerca. Pelo menos comigo foi assim. E hoje essa cidade faz mais parte de mim do que eu poderia imaginar.

Hoje é o aniversário da cidade mais energética, enérgica e energizada desse país. A palavra é essa: Energia. Quem nasceu, quem mora e quem já veio sabe que aqui é assim, é diferente, é especial. O azul do céu é diferente, o azul do mar é de outro mundo, é uma cidade luminosa e iluminada. É bonita, mas tão bonita que só de pensar na beleza eu me emociono em escrever sobre esse lugar. É como se as palavras me faltassem...Peço desculpas por meu texto quase nada jornalístico e super emocional, mas a data pede e merece uma matéria identitária e delicada, com o melhor uso de adjetivos que eu puder ousar.

Tenho muitas coisas para falar, mas como a quantidade de letras vai assustar alguns, vou intercalar com fotos de lugares especiais para mim para demonstrar a beleza que é Salvador. É tanta coisa linda que seria impossível mostrar tudo somente em uma postagem! (*Para essa parte de fotografia, contei com a ajuda especialíssima da talentosa Júlia Correa).

Elevador Lacerda/ Julia Correa
Sair nas ruas de Salvador é respirar história, estórias, e mais uma vez, energia! É ver gente diferente falando igual, é ver mil cores juntas formando uma só cultura. Salvador é riqueza em forma de centro urbano.
Entre os meus lugares/pontos preferidos da cidade estão: Mercado Modelo, Elevador Lacerda, Todas as Igrejas principalmente as do Pelourinho, Ponta de Humaitá-Forte Mont Serrat, Ribeira, Barra, MAM-Solar do Unhão, Praias de Stella Maris, Pôr-do-sol do Rio Vermelho, Bahia Marina, A baía de todos os santos vista da Vitória, entre tantos outros...

Ponta do Humaitá/ Alissa Magalhães
Aqui é o lugar do oxe para espanto, oxe para indignação, oxe para surpresa, pra alegria e para quase todas as respostas. Mas não só de oxentes vive Salvador. Aqui é o nordeste sem enfatizar o D e o T, é fazer farra no meio da rua, bater baba no meio da praça, ficar de maresia na praia, é ficar à toa no domingo de manhã. É ser abestalhado se não vai pular carnaval, é negar alguma coisa só por perguntar "aonde?", é apartar qualquer arerê, é arrastar asa por alguém e fazer o balão enquanto dirige na rotatória.
É comer uma banda de acarajé, ou duas se você for boca-de-me-dê. É não comer nada de alguma mentira, é brocar na prova, é se saltar de problema! É escapar das bocadas porque é barril, passar nos ônibus pelas borboletas e chamar o cafona de brau.
É ser café-com-leite quando vai brincar de pega-pega, é dançar na boquinha da garrafa, ser branco e ser negão ao mesmo tempo. Ó jovem, se eu continuar largando o verbo vou ficar aqui pra mais de ano, vú?!

Ribeira/ Alissa Magalhães
Salvador é aquele lugar que você fala mal dos buracos das ruas, mas se alguém de fora falar da água suja do mar do Jardim de Alah você parte pra briga. É a cidade de nós baianos, é tão única, singular, que só a gente que é fruto daqui conhece e sabe do que se trata. Nossa cidade é luz, é também escuridão e porque não?! É cor, é arte, é vibração. É música, é mpb, axé e outros ritmos, nem tudo agrada a todos (nem a mim), mas sou feliz pelo poder da diversidade, da diferença e do abraço que é isso aqui.

Pôr-do-sol/ Julia Correa

Mercado Modelo/ Alissa Magalhães
Que saibamos cuidar, valorizar e preservar nossa cultura, nossas belezas, nossa gente, nossa história e nosso poder. Que as ruas não fiquem sujas, que os carnavais sejam de paz, que as pessoas se respeitem e respeitem a si mesmas, que a educação seja nossa porta de entrada e saída, que as diferenças entre nossos gostos, escolhas, estilos, identidades, cores, raças e classes sejam uma ponta de otimismo e de celebração entre nossa população. Que tenham Bahias, Vitórias, Flamengos, Corínthians, Galícias e Ypirangas. Que tenham Portugueses, Africanos, Índios e Brasileiros. Que tenha gente nova e gente velha, e espíritos livres e generosos. Que os anos passem e Salvador evolua, cresça e crie mais séculos. Que não fique velha, que fique melhor!

Solar do Unhão-MAM/ Julia Correa

Casa do Comércio/ Julia Correa

Rodin, Palacete das Artes/ Julia Correa


Muitas belezas físicas e naturais. Muita energia, alegria e gente do bem. Que nossa marca no mundo esteja sempre viva e feliz, como costuma ser. Que todos os bons santos e anjos concedam somente coisas boas para nossa São Salvador da Bahia de Todos os Santos.

Parabéns minha cidade, obrigada por me trazer, me criar e me preparar para o mundo. Sempre estarei, e se não estiver, sempre voltarei, sempre cuidarei, sempre amarei. Muito amor, sempre. Axé!

março 23, 2016

Batom líquido Matte Marronli - Quem disse, Berenice?

by , in
Hoje o assunto é maquiagem! Vocês que me acompanham por aqui sabem que tenho uma grande queda por batons. Acho que o batom significa a finalização perfeita na make, o toque de feminilidade e cor que sempre vão faltar em uma produção.

O batom escolhido de hoje é o Marronli, que faz parte da linha de batons líquidos com acabamento mate(matte), da Quem Disse, Berenice?


Escolhi falar desse batom em específico primeiro porque eu tava louca atrás dessa cor. É um marrom com um leve toque de vinho/avermelhado. Ideal para finalizar aquela maquiagem para a noite sem exageros. E também escolhi falar desse tipo de batom porque muitas mulheres têm dúvidas sobre o que é e como funciona um batom líquido.

A embalagem parece a de um gloss tradicional, mas o efeito depois de aplicado é de batom mesmo. No caso desse em específico, a aplicação não é tão simples, é fácil de borrar e de colocar muito ou pouco, mas com o tempo (leia-se = prática) é tranquilo pegar o jeito e dar tudo certo no efeito final.


Essa é a cor que fica em mim. Se você tiver um tom de pele mais claro como o meu, o Marronli tende a ficar a mistura equilibrada entre marrom-vermelho-vinho, a cada tom mais escuro da pele, o batom fica mais avermelhado do que marrom.

Notem como ele é realmente matte. Extremamente seco! Confesso que isso me incomoda um pouco, pois meus lábios despelam fácil, então para me deixar mais confortável, eu passo bem de leve um pouco de gloss roll-on transparente, só para dar um brilho discreto. O efeito é esse:


É uma cor bem bonita e versátil. O preço padrão é de R$31,90, e vocês encontram em todas as lojas da Quem Disse, Berenice? do Brasil. O preço seria mais amigo se a embalagem fosse um pouco maior:

R$31,90
Outro ponto importante para dividir com vocês é que esse batom seca rápido. Fiz testes, contei e em média você só tem de 3 a 5 segundos para consertar as falhas ou aplicar de novo. Seca tão rápido que a gente nem percebe!
Quem gosta do efeito matte de fato, vai se apaixonar pelo Marronli (e pelas outras cores dessa linha da Quem Disse) porque é o batom mais matte que eu já usei/comprei.

Sem gloss
Sem gloss
O efeito normal, sem o gloss que eu passo, traz uma uniformidade maior, mas em contraponto não é muito confortável. Já com o gloss, o batom matte fica parecendo cremoso/hidratante, o cuidado é redobrado na hora de passar, mas o efeito é mais bonito e é difícil desbotar (sem comer é claro).
Se você vai para um lugar onde vai comer e beber e não quer ficar retocando, use sem gloss que a duração vai ser infinitamente maior.

Com gloss
O resultado final é: Aprovado!
Mesmo com um pouco de dificuldade de passar no início, praticando eu consegui o efeito e a cor que eu esperava. Super satisfeita!


E aí, gostaram das dicas? Qualquer coisa vocês podem escrever pra mim alissa.magalhaes@gmail.com ou comentar aqui embaixo!
Espero vocês no instagram e lá no snapchat também @alissamagalhaes

Beijos marrons!
março 16, 2016

Look do dia e um pouco de história: Crochê

by , in
Hoje vou falar de uma tendência que estourou e fez sucesso em 2014 e 2015, mas na verdade surgiu lá no tempo da vovó: o Crochê.
Crochê nada mais é que (segundo o wikipedia): um trabalho feito à mão com uma agulha especial terminada em gancho e que produz um trançado semelhante ao da malha ou da renda, muito usado em vestuário, roupa de cama e mesa, ornamentos etc.

Há um tempo, crochê era visto como algo dos interiores do país, algo arcaico, antiquado e sem graça, mas como o mundo gira, a moda muda e existem seguimentos, hoje o crochê é sinônimo de estilo despojado, cool, jovem e moderno.


Hoje em dia a coisa mais fácil é você achar quem faça todos os tipos de tops, blusas e vestidos em crochê. São opções lindas existentes no mercado, sua escolha vai depender do seu próprio gosto. Hoje vou mostrar a minha escolha: Um top cropped de crochê cor de creme com franjas, uma saia preta assimétrica, uma rasteira mini-gladiadora caramelo e uma bolsa-saco cor de areia.


Esse tipo de top é ideal para dias de sol, calor e ocasiões leves do dia a dia pela manhã ou tarde. A moda é democrática, mas temos que ter bom senso e noção das coisas né? Nada de usar uma roupa assim de noite, pra alguma festa ou evento.
Praia e piscina super pedem os tops de crochê por serem frescos e a cara do verão!

Foto: André Jorge
O top de crochê é da Marisa, e eu comprei em uma promoção mara! Era 70 reais e saiu por 14! Ele é bem construído, bem feito e detalhado. O crochê é forte e confortável.
A saia preta é da Blue Steel e foi 60 reais. É minha saia coringa, dá pra usar com muitas peças! Vocês encontram as roupas da Blue Steel na Renner.
Olhem mais um pouco:


A bolsa-saco cor de areia que também é um coringa, é linda e bem versátil, foi das Lojas Leader por 89,90. Minha rasteira caramelo que é meu xodó é Anne Kanner e foi 99,90. Essa rasteira me fez dar chances para usar rasteiras (sempre usei somentes sapatilhas), agora estou mais eclética!


Sobre os detalhes: Meu óculos é um clássico aviador marrom degradê da Rayban (R$495), minhas unhas são Bracelete da Colorama e meus acessórios delicados: brincos de argola (Carolina Costa, preço sob consulta) e colarzinho de ouro. O batom é Vult cor 05, um marrom caramelo (tô viciada nesses tons!)
Tudo tem que ter um equilíbrio, então se eu optei po um look mais claro, neutro, eu peso em alguma peça como na saia por exemplo, que é preta.




E aí curtiram? Qualquer coisa vocês podem escrever pra mim! alissa.magalhaes@gmail.com

Beijos caramelizados! 
março 08, 2016

Ser uma jovem mulher é...

by , in
#DiaInternacionalDaMulher
#InternationalWomen'sDay

Ser uma jovem mulher é acordar todos os dias com perspectivas, desejos e metas. É ter motivação por um sonho, é ter alegria quando o mínimo é conquistado. É acordar muito feliz por pouco, ou muito triste por nada. Ser uma jovem mulher é idealizar como o futuro vai ser, sem perder a vitalidade e o gosto do que é o presente.
Ser uma jovem mulher é se aceitar como é, é se julgar e ao mesmo tempo se amar. É ver defeito e flores em tudo. É ter no amor uma inspiração, na paixão um motivo e na arte uma benção. É aceitar ser humana, errar, pisar na bola, errar de novo e, finalmente, acertar! É enxergar que existe mais ao redor e ao mesmo tempo respeitar o que sente em seu interior. É querer entender os outros, ajudar os que são próximos, ter fé no amanhã.
Ser uma jovem mulher é carregar penas, não sentir pesos e medir o imensurável. Ser uma jovem mulher é saber separar a criança da adulta, os desejos das necessidades, o especial do essencial. É perceber que a vida é linda, e deve ser assim todos os dias, mesmo quando for difícil. É saber que tudo passa e vai continuar passando.
Ser uma jovem mulher é idealizar, é concretizar, é pensar, é sonhar. É ter opinião, vontade própria. Ser uma jovem mulher é querer realização no trabalho, felicidade nas relações, alegrias nos estudos. Ser uma jovem mulher é querer viajar, para os lugares e para dentro de si, se conhecer, conhecer da vida, é melhorar. Ser uma jovem mulher é ter força para enfrentar coisas que só nós, mulheres, sabemos enfrentar. Ser uma jovem mulher é nunca querer sair da casa dos vinte, mas sempre com anseios de formar uma linda família aos trinta. É realizar. É se emocionar. É dar vazão aos sentimentos, é não se importar com os sentimentos. É sofrer, é chorar e depois rir quando o tempo abrir. Ser uma jovem mulher é querer ser linda a todo tempo, por fora e por dentro. É aceitar e querer ser aceita. É ver o sol brilhar e a possibilidade de um recomeço nascer. É ser inconstante e consistente.
Ser uma jovem mulher é querer viver. Em paz, sintonia, felicidade e amor. Ser uma jovem mulher é bom. Muito bom!
Feliz dia internacional para o sexo "forte", porque aqui não tem nada frágil! Feliz dia para todas nós meninas, garotas, adolescentes, jovens, mulheres, idosas e maravilhosas em tudo o que fazemos!