maio 30, 2016

Amo ser mulher

by , in
Começo esse texto sem nenhum tom radical, sem discursos enfeitados nem repetitivos e, principalmente, sem ódio. Acredito no diálogo e na força das palavras do bem.

Toda pessoa bem informada sabe dos casos de assédio psicológico, violência contra a mulher, preconceitos e outras ações abomináveis que sofremos dia após dia. É inacreditável como nossa sociedade consegue ser hipócrita e mal evoluída. Digo mal evoluída, porque muitas coisas foram conquistadas e feitas ao longo da história, mas ainda hoje sofremos o que não condiz com o que deveria ser nossa realidade.

Sair na rua de vestido curto, de calça justa, de saia com salto alto, com uma maquiagem mais elaborada são coisas simples e importantes na vida de uma mulher, mas não ache que é fácil.  A partir do momento que colocamos o pé para fora de casa, ficamos suscetíveis a todo e qualquer tipo de assédio (que muitos e muitas chamam de "cantada"), de desrespeito, de desvalorização de gênero. Tudo isso pelo simples fato de sermos mulheres. Mulheres, seres humanos, gente. O direito e poder de escolha se perdem quando não nos sentimos confortáveis em sermos quem somos. Mas, que contradição?! Não concordo com nenhum tipo de generalização, mas, pensemos: um homem sofre, no sentido literal da palavra, qualquer coisa quando sai sem camisa nas ruas? 

Não existe coisa mais fora de moda do que alguém querer interferir na moda de alguém. Acho que o segredo está no Valor. Se soubéssemos valorizar cada pessoa pelo o que ela é, com qualidades e defeitos, características e personalidades, de certo o mundo seria um lugar mais tranquilo e saudável de se viver. Mas intolerância, ego, preconceito imperam. A desigualdade ainda existe, e é forte. Falam tanto de direitos iguais, salários iguais, tratamentos iguais e a verdade é que nada disso existe. Quando paramos para analisar, é como se estivéssemos no passado. Sentimos raiva, ânsia de mudança, mas não podemos tratar com raiva nem ódio, temos que tratar com justiça e respeito, para conseguirmos a mudança que tanto queremos. É aquela velha e boa frase: "gentileza gera gentileza". Assim como respeito atrai respeito.

Pra mim, feminismo tem que ser exercido com voz, paixão e equilíbrio. Sem raiva, sem sexismo, sem ódio, sem radicalismo. Ser feminista é saber o que é ser mulher, é amar ser mulher e lutar para ser mulher. É mostrar aos homens que eles não sabem o mínimo do que passamos, mas temos que expressar com amor. Quem melhor entende as mulheres do que outra mulher? Vamos praticar o amor! É chavão, mas é o caminho. Todo ser humano deve se descobrir, viver do seu jeito, ser livre e para isso devemos praticar o respeito, a arte de valorizar, de dentro pra fora. O segredo está na compreensão, na vontade de que todo mundo seja igual, porque na verdade todo mundo é.

Valorizemos nossas mães, avós, amigas, tias, primas, esposas, namoradas. Valorizemos as relações, as pessoas, as ações. Estamos nesse mundo para viver, aprender e seguir, mas da melhor forma possível. Pra quê tanta incompreensão? Por quê não podemos ser nós mesmos? Ninguém deve nada a ninguém, apenas respeito. Somos cada um donos de nós mesmos. Somos todos mulheres.

reprodução google


maio 22, 2016

A tendência das listras - Stripes

by , in
Depois de virem com tudo no verão passado na versão navy/náutica, as listras estão de volta nesse outono-inverno, agora em cores mais neutras e sóbrias.

O look do dia de hoje é um vestido de camisaria social, que consegue ser formal e ao mesmo tempo estiloso e despojado:


Esse tipo de vestido pode ter diferentes experimentações. Escolhi a bolsa-saco cor de areia e rasteira gladiadora caramelo para dar uma ideia mais descolada ao look, tudo tom sobre tom, bem inverno! Por outro lado, poderia ter usado uma plataforma e uma bolsa de corrente para deixar mais arrumado, com cara de noite.


Esse look é ideal para proteger do frio em ambientes como um cinema (para eu sentir frio, basta estar em contato com ar condicionado), e é uma boa opção para quem não curte usar calça como eu. Protegida nos braços e com as pernas de fora, é uma pegada bem jovial.


Mesmo sendo curto, o vestido é alinhado e clássico. Marca a cintura e é super feminino! Foi da Express Fashion do Salvador Shopping.


Tons de nude, creme, marrom e caramelo, além do preto e cinza, são ideais para essa estação mais fria e gostosa! Vestir tom sobre tom também traz sofisticação e uma postura mais adulta e clean para o look.


E aí, gostaram da dica de hoje?
Qualquer dúvida é só comentar aqui embaixo ou mandar um email pra mim alissa.magalhaes@gmail.com
Não esqueçam de me acompanhar nas redes sociais! Tô sempre no instagram @alissamagalhaes e no snapchat:alissamagalhaes

Beijos listrados e caramelizados! 
maio 16, 2016

Preto e Branco é Outono e Inverno

by , in
A chegada do outono traz, junto com aquele friozinho, o clima ideal para abusar dos tons mais sóbrios e clássicos! Mesmo aqui em Salvador que tem aquele ar tropical, é possível se adequar à vibração da estação e vestir estilo, mesmo que não faça tão frio assim.

O look do dia de hoje é uma combinação bem preppy de preto e branco com estamparia neutra:


Esse look que é fresquinho para uma cidade como Salvador, por outro lado tem cores que são perfeitas para um dia mais ameno. Usei esse look para uma reunião de compromissos do blog, mas poderia ter usado para ir no cinema ou no shopping. É bem estiloso e ao mesmo tempo versátil. 


A blusa fina com a gravatinha, o short de alfaiataria de cintura alta e a sapatilha juntos formam um look jovial, que aumenta a silhueta e valoriza as curvas femininas. Finalizei com minha bolsa coringa nude que combina com tudo e deu uma quebrada nos tons!


Essa blusa é super fofa e fina. Não sei dizer pra vocês de qual loja ela é porque ganhei de presente, mas esse estilo é fácil de achar no mercado fashion. A estamparia clássica de corações é tão discreta que você deve ter achado que eram bolinhas. Combina com preto, branco, nude e jeans!


O bom do preto e do branco é que qualquer maquiagem que você usar vai soar bem com o look. São cores que te permitem ser discreta ou mais chamativa na make-up.

  
O short lindo e super alinhado é da linha Basics da Zara que combina com praticamente tudo. Peças coringas no armário nunca podem faltar na vida de uma mulher. Ajudam muito na composição daquele look pensado de última hora!


A bolsa é de uma lojinha de bolsas que fica no centro da cidade e a sapatilha preta com detalhe dourado é da Adrielle. No caso desse look que fala por si só, eu escolhi poucos acessórios. Só brincos dourados de argola e meus anéis que não tiro do dedo. Simples e chic!


E aí, gostaram?
Essas fotos foram tiradas pela minha mamy poderosa que sempre me ajuda!
Vocês acompanham mais novidades no meu instagram e no snapchat: alissamagalhaes

Qualquer dúvida é só comentar ou escrever pra mim no alissa.magalhaes@gmail.com

Beijos invernais!
maio 06, 2016

12 anos sem Friends

by , in
Dia 6 de maio de 2004 foi ao ar o último episódio da melhor série de comédia de todos os tempos: Friends.
É o tipo de humor que nunca sai de forma, é a série que você não cansa de assistir mil vezes os mesmos episódios e faz você rir em cada um deles, repetidamente. Se você nunca assistiu, precisa! E se você já é fã como eu, sabe cada fala de cada episódio de cor. Com um texto genial, um elenco ímpar e muita simplicidade, Friends se consagrou como a série americana mais única e inesquecível de todas!

Foram 10 anos de história, e o legado é eterno. Para celebrar a data de hoje, listei 12 coisas que eu aprendi com Friends nesses anos todos:

1. Não importa o que você quer fazer, com amigos é muito mais divertido

2. Amigos são a família que você escolhe


3. Nada melhor do que poder contar com seus amigos pra tudo


4. E pra ser bobo também, não existe companhia melhor


5. Quando você tem vontade de fazer algo inusitado, só seus amigos vão te compreender sem julgamentos


6. Dividir comida? Sempre!


7. Se divertir do seu jeito é melhor com seus amigos do lado


8. Se apaixonar por um amigo... Porque não?


9. Viver grandes emoções...


10. Você pode ser você mesmo com amigos


11. É melhor se meter em encrencas acompanhado


12. Amizades verdadeiras continuam, mesmo depois que a vida adulta chega



Saudades Friends!

*fotos reprodução google
maio 02, 2016

Audrey - Minha inspiração para a vida

by , in
Essa primeira semana de maio, todos os anos, vem marcada pra mim com uma data muito especial e sensível porque é/seria o aniversário de Audrey Hepburn, minha inspiração para a vida. Quando alguém se refere a ser mulher, à moda como parte essencial da vida, às belezas interna e externa de alguém e ao modo de agir de um ser humano, é nela que eu penso, me espelho, me identifico.

Me identifiquei e simpatizei com Audrey desde o primeiro momento em que eu tive conhecimento de sua existência. Eu devia estar na metade da adolescência lá pros 14, 15 anos de idade. Me vi nela. No jeito de falar, pensar, me portar, me comportar. Achei natural e familiar o que eu senti. Desde então, eu coleciono uma bagagem-hepburn imensa: já assisti quase todos os filmes dela, sei praticamente tudo sobre a vida dela, trouxe pra minha vida inspirações de moda que surgiram dela e por aí vai. 

Esse post é um agradecimento, porque por mais que ela já não esteja nesse plano físico, a energia e a gratidão são eternas.


Primeiro, agradeço e ressalto o que eu aprendi com Audrey sobre a grandeza de ser mulher. Não apenas ser mulher, ser gênero feminino. Nada disso! É dar valor a cada coisa que só a gente pode e consegue fazer. É o poder de saber ser sutil e forte, leve e determinada, apaixonada e pé no chão, tudo ao mesmo tempo. É amar se arrumar, sair linda por aí só pra você. É abraçar o momento do choro, e eternizar o momento do riso. É amar com todo o coração e saber que você vem em primeiro lugar, sempre. É ter em mente que ninguém é como você, e que nada é melhor do que ser diferente, única. É ter bondade no olhar, frieza nas decisões, e ter inspiração em você mesma.

Amo esse ensaio! 1955
Agradeço por ter tanta coisa em comum com ela, porque isso me fez aceitar quem eu era mais rapidamente. Agradeço pelos vestidos de cintura marcada, pelos shorts de cintura alta, pelas sapatilhas, pelos máxi-óculos escuros, pelos chapéus, pela falta de sol na pele, pelo modo de sentar, pela escolha das palavras, pelos discursos. Agradeço por amar quem eu sou, amar as cores clássicas, o cabelo escuro, externar meus sentimentos, fazer minha voz ecoar e tentar transformar de algum jeito...


Como vocês estão percebendo nas minhas palavras, tenho um carinho e uma grande devoção por Audrey. Levo muito a sério essa questão do amor e respeito a si mesmo, a evolução como mulher, a seriedade sem perder a leveza de viver do seu jeito, ser feliz do jeito que se quer. Tudo isso que eu já carregava em mim, consegui externar para a mulher que eu estou começando a ser, a partir da minha descoberta por essa atriz, humanitária e ícone fashion que, pra mim, é a melhor de todos os tempos.


Em Bonequinha de Luxo aprendi que você pode ser quem quiser ser, pode adequar seus problemas a um certo tipo de diversão, e pode também não cobrar muito de si mesma e se render ao que te faça bem, sempre se auto-conhecendo e respeitando seu estilo de ser.  Em Sabrina percebi que o amor é forte, e aparece quando você menos espera, e que nunca se deve lutar contra ele, simplesmente porque ele sempre vai vencer. Em Quando Paris Alucina percebi as maravilhas que o trabalho/profissão podem fazer com a vida de uma pessoa, como pode ser bom, revigorante e inspirador ter uma ocupação em que você faça bem o que é proposto. Em My Fair Lady percebi que há sempre o que melhorar, em mim, nos outros, no mundo e ao nosso redor. Em Cinderela em Paris vi que tudo é possível, tudo pode acontecer. Em A Princesa e o Plebeu percebi o valor que eu tinha que dar para tudo e todos que eu já tenho comigo. Já em Uma Cruz à beira do Abismo percebi a importância da caridade e de como podemos transformar. E por aí vai... São tantos filmes! Consegui listar meus preferidos pra vocês, assistam porque vale a pena!


Não sei qual das "partes" de Audrey mais me inspira. A moda dela é algo que simplesmente sou eu! Faz parte de mim lá do meu íntimo até o meu exterior. A padronagem clássica, as cores neutras, as modelagens que valorizam a feminilidade sem perder a graça, a classe, os vestidos, as sapatilhas (de novo), os scarpins, a maquiagem leve e também a marcada, as camisas, as rendas, as estampas, etc... É muita inspiração! Nada melhor do que se inspirar e gostar de ser quem você é.


Audrey Hepburn com toda delicadeza, de maneira sábia, suave e forte, conseguiu mostrar por meio de seus filmes, suas ações e seus discursos a beleza de aceitar a si mesmo, a beleza de ser ser humano com todas as glórias e falhas. Tudo sobre ela me inspira, me encanta e me emociona.


Audrey, neste 4 de maio de 2016, estaria fazendo 87 anos, mas mesmo sem estar aqui hoje, o legado dela permanecerá pra sempre. A mensagem que ela me deixou e eu trago pra mim é que beleza tanto é elegância quanto caráter, que o amor é luz que irradia o caminho, que família é força e unidade, que bondade é essencial, que respeito e educação são portas de entrada para o mundo mais justo, que sua moda é quem você é e você se deve o melhor que puder ser, deve ser feliz.

Cultivem as inspirações das vidas de vocês, nada é melhor do que se conhecer e amar a si mesma, respeitando acertos, erros, personalidade e todo o resto.

Thank you so very much, Miss Audrey Hepburn.


*fotos reprodução google
*meu instagram e snapchat: alissamagalhaes

Beijos inspiradores!