outubro 31, 2018

Atypical, uma série que emociona e faz pensar

by , in
Preciso dizer pra vocês que há alguns meses assisti às duas temporadas da série Atypical disponíveis na Netflix e fiquei positivamente surpresa.

Não é meu tipo de série favorita (vide Gilmore Girls, Gossip Girl, PLL, Friends, The Good Wife, etc), mas eu amo quando assisto algo que não tem a ver comigo e mesmo assim consigo sentir empatia e emoção.

Essa série basicamente mostra a rotina de Sam, adolescente de 18 anos diagnosticado no espectro do autismo que cursa o último ano do High School. Com enredos jovens e naturais como futuro, sexo, amizades, drogas, experiências e frustrações, essa série faz a gente pensar mais no outro e torcer para que tudo melhore de algum jeito em nossa sociedade e nas relações humanas.

Reprodução Google/ Netflix/ National Autistic Society

Além de trazer os conflitos e realidades da família de Sam, os desejos e anseios de um jovem com autismo e desmitificar essa condição, a série me fez enxergar pontos simples e preciosos do dia a dia entre os amigos, familiares e pessoas do convívio pessoal.

A narrativa é expressiva e muito real e natural, me fez refletir e repensar a vida e entender como uma pessoa autista enxerga o mundo e os outros. É sensacional o fato do desconhecido que logo depois vira conhecido. 

Após assistir a série, enxergo o autismo de maneira totalmente diferente e tenho muito mais respeito e solidariedade por quem vive nessa condição, que, by the way, não tem nada de atípica.

Adorei a forma leve que foram mostradas determinadas situações complicadas, adorei a falta de preconceitos no roteiro, principalmente em relação às sessões de terapia a que o personagem principal se submete para melhorar. E preciso falar, personagem muito bem escrito e cheio de nuances. Daqueles que a gente tem raiva e pena, torce e enjoa, tudo ao mesmo tempo, sabe?

Incrível como uma história bem escrita pode nos fazer despertar. Já espero ansiosamente pela próxima temporada.

São 10 episódios na 1ª temporada e 12 na 2ª. Assisti tudo em duas semanas!
Não darei spoilers. Essa série é uma indicação pra vocês, afinal, dica boa é dica compartilhada!

Beijos!

outubro 21, 2018

Looks para o dia a dia - Inspire-se!

by , in
Vamos começar a semana inspiradas?
Como de costume, selecionei pra vocês, meus looks de situações do dia a dia que vesti nas últimas semanas!

Dessa vez, por coincidência (ou talvez fase) as peças são quase todas de lojas de departamento e eu escolhi composições mais casuais com um toque de clássico e boho-chic. Bora ver tudo?


01. Almoço meio da semana (Cropped preto Marisa, Saia jeans C&A)
02. Aula da pós-graduação (Cropped ombro a ombro Cynthia Tirzah, Calça Marisa)
03. Ida ao shopping (Cropped C&A, Short Yessica)


01. Trabalho (Camisa Clock House, Calça skinny jeans Primark)
02. Sorvete com amigas (Body e Short C&A)
03. Trabalho (Blusa Filho da Mãe, Calça flare Marisa)


01. Aula da pós-graduação (Camisa jeans Vibe, Calça off white Cynthia Tirzah)
02. Almoço de aniversário (Vestido Forever 21)
03. Trabalho (Casaco Yessica, Blusa Cynthia Tirzah, Calça Flare Renner)


01. Aula da pós-graduação (Look todo da Marisa)
02. Jantar formal de aniversário (Vestido longo Opção)


01. Aniversário (Cropped Riachuelo, Saia Clock House)
02. Saída à noite com amigas (Blusa Zara, Short Zara)
03. Jantar (Cropped Flare Express Fashion, Short Zara)


01. Trabalho (Look all C&A)
02. Almoço de aniversário (Look all C&A)
03. Trabalho (Look all Cynthia Tirzah)



01. Trabalho e happy hour (Body Renner, Calça Cynthia Tirzah)
02. Ida ao shopping (Blusa Riachuelo, Calça Marisa)
03. Palestra e curso (Blusa e saia Marisa)

Se identificou com alguns dos looks? Fast Fashion é tudo, né?
Espero que tenham gostado!
Vejo vocês com mais no meu Instagram @alissamagalhaes

Beijos!
outubro 17, 2018

Dicionário Fashion: Descubra seu estilo

by , in
Muita gente ama moda, mas poucos conhecem de fato os significados dos termos que existem nos blogs, nas revistas, nas coberturas de semanas de moda, etc.

Pensando nisso, vou começar um quadro que vai funcionar como um dicionário do mundo fashion para tirar as dúvidas da maioria!

Como é muita informação, vou fazer uma divisão dos assuntos! Hoje vamos falar de estilos. Você conhece todos? Sabe qual é o seu?



Seu estilo é como você se comunica ao mundo e aos outros. É ele que mostra sua identidade e como você quer ser visto. 
Sabia que você pode se identificar com mais de um estilo?

Clássico: É marcado pela elegância e minimalismo. As adeptas do estilo clássico gostam de peças lisas, cores sóbrias, estampas mais neutras como bolinhas ou florais e gostam de tecidos de qualidade. Os looks de uma mulher clássica variam entre o blazer combinado com jeans e camisa fina com ou sem botões, até uma calça ou shorts em alfaiataria. Calças Flare, skinny ou cropped também não faltam! Bom caimento das peças e valorização da silhueta são características deste estilo. É onde eu mais me enquadro!

Boho: É um estilo contemporâneo. É a mistura do étnico com o boêmio, o vintage com o moderninho. Vestidos soltos, saias longas com estamparia, calça jeans com botas, chapéus, quimonos, saias e shorts curtos e abusar dos maxi acessórios e tecidos fluidos são características desse estilo.  Um bom exemplo de quem faz parte do time Boho-Chic é a personagem Serena Van Der Woodsen da Blake Lively em Gossip Girl.

Esportivo: Conforto e praticidade são essenciais. Quem tem esse estilo, geralmente gosta de um ar mais informal, básico, jovial, espontâneo e despreocupado. Tênis, calça jeans, blusas brancas, cintos, saltos baixos, sobreposições, bolsas grandes, peças com design esportivo e zíperes, cores terrosas e neutras compõem no geral quem tem esse estilo mais natural.

Hi-lo: É misturar uma peça uma peça cara com outra barata, o luxo com o básico. Por exemplo: compor um look com short jeans e jaqueta de couro, usar vestido com tênis, vestir branco e jeans e finalizar com uma bolsa de grife, etc.

Romântico/Feminino: Também conhecido como Ladylike, o estilo romântico abusa de fofura e feminilidade. É vestir cintura marcada para valorizar o corpo, compor looks com saias e vestidos rodados, abusar dos tons de rosa e florais. É um estilo marcado pela graça e delicadeza, muitas texturas e tecidos delicados como renda e seda, cores sutis e acessórios minimalistas. Outro estilo que eu adoro e me identifico! 

Sexy/Boudoir: É um estilo marcado pela exuberância, glamour e ousadia. Decotes, saias, shorts e calças que valorizem as pernas, cores quentes, mostrar lingerie sem vulgaridade, fendas, linhas reveladoras, tendências, saltos altos, estampas animais caracterizam esse estilo.

Casual: A mulher no geral gosta do estilo casual, mesmo que não seja a sua principal escolha. É misturar conforto com elegância. Peças básicas sem monotonia, sem exageros e versáteis. O estilo casual, na maioria das vezes, pode te levar para qualquer lugar.

Low-profile/ Cool: Quem gosta de um estilo mais desencanado, atual, simples, com roupas largas, estampas geeks, cores misturadas e um toque de naturalidade. É um estilo que tem aquele look pensado sem cara de pensado, sabe?

Urbano/Street Style: Traz um visual cosmopolita e sofisticado. Peças de qualidade e assinadas são preferência e a elegância exagerada está presente. Roupas estruturadas, cores fortes e sóbrias como preto, vermelho, vinho e tons escuros, sapatos de bico, plataformas, couro e alfaiataria.

E aí, se identificou?
Em breve volto com mais termos para o Dicionário Fashion!
Beijos e até a próxima!


outubro 15, 2018

3 looks, 3 propostas - Como pensar nas composições de peças

by , in
Fiz uma visita ao Shopping Bela Vista aqui em Salvador, e resolvi passar na Riachuelo para gravar um "No Provador" de primavera-verão para os meus Stories do Instagram.

Porém, todavia, entretanto, a moda prega peças e se mostra sempre muito mais ampla do que nossos olhos podem ver. Dito isso, mostrei os looks no meu Instagram para quem interessar, com vídeos, preços, etc, mas hoje, para o blog, trouxe uma perspectiva completamente diferente.



Muitas pessoas me perguntam como surge minha inspiração para fazer esses garimpos, montar composições, misturar  tecidos que se complementam. 

É importante conhecer texturas, saber o que valoriza seu corpo respeitando sempre seu próprio estilo de ser, e saber em que ocasião vestir cada peça.
Por isso, hoje, vou mostrar os 3 looks que montei com 3 propostas diferentes!

01. Mesmo tecido, texturas parecidas, estilos diferentes



A temporada primavera-verão pede conforto, leveza, contemporaneidade e ousadia. 
Top cropped é uma peça que voltou repaginada nos últimos anos e veio para ficar!

Esse exemplo escolhido para o look, é um top de renda azul escuro, super curtinho, mas estruturado com mangas curtas. Existe uma linha tênue para combinar essa peça com uma outra, você pode ir desde o moderninho, até o look praia, mas tem que ficar atenta para não mostrar pele demais. Eu particularmente acho over!

Escolhi uma saia mais formal branca que só compôs legal com o top porque, apesar de ter um estilo diferente, possui o mesmo tecido com uma textura parecida: também é de renda.

Fora que azul escuro e branco é uma combinação clássica que nunca falha! Se você é do time das clássicas como eu, mas tem vontade de ousar um pouco mais, que tal apostar no combo Cropped + Saia?

02. Clássico, tendência e modelagem


Primeiro vamos falar do óbvio: Preto e Branco serão sempre as melhores cores. Ponto.

Quando a gente pensa em um look clássico, mas que traga tendências e que valorize a silhueta, estamos falando no look acima!

Escolhi uma bata branca, quase off-white, ombro a ombro, que é uma tendência que eu amo porque além de dar destaque ao colo, traz uma super feminilidade e personalidade à composição.

Finalizei com uma saia acinturada, ou seja, uma saia com modelagem valorizadora do corpo da mulher. Esse modelo, cheio de botões, também é trend e fez o contraponto ideal à seriedade das cores. 

O resultado é um look moderninho com cores sóbrias. Que tal?

03. Tradição, tendência, estamparia



Cores vivas e alegres são a tradição da temporada. Mas que tal sair das estampas e padronagens óbvias?
As araras estão cheias de estamparias diferentes, florais bonitos com cores diferentes e chamativas. É só garimpar e se jogar!

Para este look, escolhi um top cropped rosa pink  (adorei a modelagem, valorizou os seios e o colo) e combinei com uma calça pantacourt de malha que está super em alta e traz aquele ar de movimento.

Nesse look temos cor, tendência, estilo e vivacidade. Características indispensáveis quando vamos pensar em uma composição para primavera-verão.


Gostaram de analisar os looks por outra ótica?
Se quiserem saber os preços, verem outras fotos e outros garimpos é só conferir os Destaques "No Provador" no meu instagram @alissamagalhaes

Beijos e até a próxima!

outubro 06, 2018

Uma nova vida antes do ano novo

by , in
Anna não tinha ideia do que estava acontecendo em sua vida.

Meio perdida, meio sozinha, meio feliz.
Tava se sentindo só por uma metade, então começou a achar que precisava da outra.

Vinte e poucos anos, alguns relacionamentos depois, alguma frustração, mil desejos, Anna não sabia direito escolher o que era certo, só sabia o que estava totalmente errado.

Em um momento que lhe parecia certeiro, Anna resolveu se aventurar em um território previamente analisado, estudado, até pode-se dizer, um pouco conhecido.
Aqueles olhos e cabelos tinham a cara do perigo e Anna, que adora uma aventura emocional, resolveu tentar, com cautela, entrar neste novo mundo.

Oh Anna. Por quê?

Mateus era misterioso, daquele tipo de cara amável, mas que não dá muita informação. Que trata bem e instiga ao mesmo tempo. Que te admira, mas te chama de amiga. Pensa!

Anna só queria uma noite, uma experiência. Não queria casar com Mateus não, era menino. Precisava de muito tombo pra ser homem ainda. Mas era nesse "não querer muito" que tudo desandou.

Anna não passa vontade.

A vida acontece quando a gente mexe nossos pauzinhos, e Anna mexeu mais do que podia brincar.

Com o costume de conseguir o quê e quem queria, e por selecionar e restringir todos esses desejos ao que julgava ser bom para ela, Anna começou a misturar negócios e prazeres e se perdeu. 
Hoje encantada ela o provocava, mas amanhã não iria atender nenhuma das ligações do menino que gostava tanto de falar no telefone.

Como resolver tantos impasses e confusões que ocorreram nesses poucos meses?

Anna  também julgava. Achava chato demais! Lindo demais. Tanto potencial para ser algo, mas não era, faltava o brilho, a paixão, o coração. Anna não fica onde não tem graça. Ah, não fica mesmo.

Anna viu que o problema tava dentro dela. Não fora, lá em Mateus.

Como pessoa reflexiva que é, resolveu afastar-se, mesmo cheia de vontade presa, preferiu recuar. Preferiu paz, preferiu esperar.

Na vida a gente renuncia pra poder ganhar. Chora pra poder aprender. Sofre pra poder alegrar.

Mateus foi. Anna o deixou ir. Não fez falta não. Pesava mais que elevava. Tava na hora!

Anna se lembrou que é feita de várias metades. Metades dela mesma. Mentalizou paciência com a vida, porque quem constrói o melhor de si, merece o melhor do mundo.

Anna voou. Despediu. Desprendeu. Aprendeu. Continuou voando. E vai sempre voar. Só ou junto. Completa sempre. Aberta pra alguém chegar e transbordar. 

O bom encontro é o de nós mesmos.