Audrey - Minha inspiração para a vida

Essa primeira semana de maio, todos os anos, vem marcada pra mim com uma data muito especial e sensível porque é/seria o aniversário de Audrey Hepburn, minha inspiração para a vida. Quando alguém se refere a ser mulher, à moda como parte essencial da vida, às belezas interna e externa de alguém e ao modo de agir de um ser humano, é nela que eu penso, me espelho, me identifico.

Me identifiquei e simpatizei com Audrey desde o primeiro momento em que eu tive conhecimento de sua existência. Eu devia estar na metade da adolescência lá pros 14, 15 anos de idade. Me vi nela. No jeito de falar, pensar, me portar, me comportar. Achei natural e familiar o que eu senti. Desde então, eu coleciono uma bagagem-hepburn imensa: já assisti quase todos os filmes dela, sei praticamente tudo sobre a vida dela, trouxe pra minha vida inspirações de moda que surgiram dela e por aí vai. 

Esse post é um agradecimento, porque por mais que ela já não esteja nesse plano físico, a energia e a gratidão são eternas.


Primeiro, agradeço e ressalto o que eu aprendi com Audrey sobre a grandeza de ser mulher. Não apenas ser mulher, ser gênero feminino. Nada disso! É dar valor a cada coisa que só a gente pode e consegue fazer. É o poder de saber ser sutil e forte, leve e determinada, apaixonada e pé no chão, tudo ao mesmo tempo. É amar se arrumar, sair linda por aí só pra você. É abraçar o momento do choro, e eternizar o momento do riso. É amar com todo o coração e saber que você vem em primeiro lugar, sempre. É ter em mente que ninguém é como você, e que nada é melhor do que ser diferente, única. É ter bondade no olhar, frieza nas decisões, e ter inspiração em você mesma.

Amo esse ensaio! 1955
Agradeço por ter tanta coisa em comum com ela, porque isso me fez aceitar quem eu era mais rapidamente. Agradeço pelos vestidos de cintura marcada, pelos shorts de cintura alta, pelas sapatilhas, pelos máxi-óculos escuros, pelos chapéus, pela falta de sol na pele, pelo modo de sentar, pela escolha das palavras, pelos discursos. Agradeço por amar quem eu sou, amar as cores clássicas, o cabelo escuro, externar meus sentimentos, fazer minha voz ecoar e tentar transformar de algum jeito...


Como vocês estão percebendo nas minhas palavras, tenho um carinho e uma grande devoção por Audrey. Levo muito a sério essa questão do amor e respeito a si mesmo, a evolução como mulher, a seriedade sem perder a leveza de viver do seu jeito, ser feliz do jeito que se quer. Tudo isso que eu já carregava em mim, consegui externar para a mulher que eu estou começando a ser, a partir da minha descoberta por essa atriz, humanitária e ícone fashion que, pra mim, é a melhor de todos os tempos.


Em Bonequinha de Luxo aprendi que você pode ser quem quiser ser, pode adequar seus problemas a um certo tipo de diversão, e pode também não cobrar muito de si mesma e se render ao que te faça bem, sempre se auto-conhecendo e respeitando seu estilo de ser.  Em Sabrina percebi que o amor é forte, e aparece quando você menos espera, e que nunca se deve lutar contra ele, simplesmente porque ele sempre vai vencer. Em Quando Paris Alucina percebi as maravilhas que o trabalho/profissão podem fazer com a vida de uma pessoa, como pode ser bom, revigorante e inspirador ter uma ocupação em que você faça bem o que é proposto. Em My Fair Lady percebi que há sempre o que melhorar, em mim, nos outros, no mundo e ao nosso redor. Em Cinderela em Paris vi que tudo é possível, tudo pode acontecer. Em A Princesa e o Plebeu percebi o valor que eu tinha que dar para tudo e todos que eu já tenho comigo. Já em Uma Cruz à beira do Abismo percebi a importância da caridade e de como podemos transformar. E por aí vai... São tantos filmes! Consegui listar meus preferidos pra vocês, assistam porque vale a pena!


Não sei qual das "partes" de Audrey mais me inspira. A moda dela é algo que simplesmente sou eu! Faz parte de mim lá do meu íntimo até o meu exterior. A padronagem clássica, as cores neutras, as modelagens que valorizam a feminilidade sem perder a graça, a classe, os vestidos, as sapatilhas (de novo), os scarpins, a maquiagem leve e também a marcada, as camisas, as rendas, as estampas, etc... É muita inspiração! Nada melhor do que se inspirar e gostar de ser quem você é.


Audrey Hepburn com toda delicadeza, de maneira sábia, suave e forte, conseguiu mostrar por meio de seus filmes, suas ações e seus discursos a beleza de aceitar a si mesmo, a beleza de ser ser humano com todas as glórias e falhas. Tudo sobre ela me inspira, me encanta e me emociona.


Audrey, neste 4 de maio de 2016, estaria fazendo 87 anos, mas mesmo sem estar aqui hoje, o legado dela permanecerá pra sempre. A mensagem que ela me deixou e eu trago pra mim é que beleza tanto é elegância quanto caráter, que o amor é luz que irradia o caminho, que família é força e unidade, que bondade é essencial, que respeito e educação são portas de entrada para o mundo mais justo, que sua moda é quem você é e você se deve o melhor que puder ser, deve ser feliz.

Cultivem as inspirações das vidas de vocês, nada é melhor do que se conhecer e amar a si mesma, respeitando acertos, erros, personalidade e todo o resto.

Thank you so very much, Miss Audrey Hepburn.


*fotos reprodução google
*meu instagram e snapchat: alissamagalhaes

Beijos inspiradores!

Nenhum comentário:

Postar um comentário