Amo ser mulher

Começo esse texto sem nenhum tom radical, sem discursos enfeitados nem repetitivos e, principalmente, sem ódio. Acredito no diálogo e na força das palavras do bem.

Toda pessoa bem informada sabe dos casos de assédio psicológico, violência contra a mulher, preconceitos e outras ações abomináveis que sofremos dia após dia. É inacreditável como nossa sociedade consegue ser hipócrita e mal evoluída. Digo mal evoluída, porque muitas coisas foram conquistadas e feitas ao longo da história, mas ainda hoje sofremos o que não condiz com o que deveria ser nossa realidade.

Sair na rua de vestido curto, de calça justa, de saia com salto alto, com uma maquiagem mais elaborada são coisas simples e importantes na vida de uma mulher, mas não ache que é fácil.  A partir do momento que colocamos o pé para fora de casa, ficamos suscetíveis a todo e qualquer tipo de assédio (que muitos e muitas chamam de "cantada"), de desrespeito, de desvalorização de gênero. Tudo isso pelo simples fato de sermos mulheres. Mulheres, seres humanos, gente. O direito e poder de escolha se perdem quando não nos sentimos confortáveis em sermos quem somos. Mas, que contradição?! Não concordo com nenhum tipo de generalização, mas, pensemos: um homem sofre, no sentido literal da palavra, qualquer coisa quando sai sem camisa nas ruas? 

Não existe coisa mais fora de moda do que alguém querer interferir na moda de alguém. Acho que o segredo está no Valor. Se soubéssemos valorizar cada pessoa pelo o que ela é, com qualidades e defeitos, características e personalidades, de certo o mundo seria um lugar mais tranquilo e saudável de se viver. Mas intolerância, ego, preconceito imperam. A desigualdade ainda existe, e é forte. Falam tanto de direitos iguais, salários iguais, tratamentos iguais e a verdade é que nada disso existe. Quando paramos para analisar, é como se estivéssemos no passado. Sentimos raiva, ânsia de mudança, mas não podemos tratar com raiva nem ódio, temos que tratar com justiça e respeito, para conseguirmos a mudança que tanto queremos. É aquela velha e boa frase: "gentileza gera gentileza". Assim como respeito atrai respeito.

Pra mim, feminismo tem que ser exercido com voz, paixão e equilíbrio. Sem raiva, sem sexismo, sem ódio, sem radicalismo. Ser feminista é saber o que é ser mulher, é amar ser mulher e lutar para ser mulher. É mostrar aos homens que eles não sabem o mínimo do que passamos, mas temos que expressar com amor. Quem melhor entende as mulheres do que outra mulher? Vamos praticar o amor! É chavão, mas é o caminho. Todo ser humano deve se descobrir, viver do seu jeito, ser livre e para isso devemos praticar o respeito, a arte de valorizar, de dentro pra fora. O segredo está na compreensão, na vontade de que todo mundo seja igual, porque na verdade todo mundo é.

Valorizemos nossas mães, avós, amigas, tias, primas, esposas, namoradas. Valorizemos as relações, as pessoas, as ações. Estamos nesse mundo para viver, aprender e seguir, mas da melhor forma possível. Pra quê tanta incompreensão? Por quê não podemos ser nós mesmos? Ninguém deve nada a ninguém, apenas respeito. Somos cada um donos de nós mesmos. Somos todos mulheres.

reprodução google


Nenhum comentário:

Postar um comentário