Percebendo a vida

Dois passarinhos voam um atrás do outro em meio às árvores que vejo pela janela do quarto. Assim começa meu dia.

É fim de novembro, já estou com quase todas as pendências de fim de ano resolvidas, uma viagem marcada, uma perspectiva positiva para o próximo ano e busco melhorar a mim mesma para tornar tudo mais fácil.

Existe um momento na vida que dá para perceber que ficou sério, que nem tudo é tão simples, nem tudo é como queremos, nem tudo acontece quando planejamos, nem tudo surge quando desejamos. Porém, existe um outro momento em que nos damos conta que tá tudo bem, que a vida deve fluir por si só, e que não devemos levar tudo tão a sério assim.



Quando a gente se percebe perante o mundo, tudo faz sentido. Quem somos, o que queremos fazer de nossas vidas, o que não toleramos, o que buscamos, fica mais fácil. Saber simplificar o complicado.

Eu, por exemplo, quero viver realizando sonhos, em paz, fazendo bem pra mim e para o próximo de maneiras que ainda vou descobrir. Meu objetivo e pensamento como missão de vida é esse: fazer o bem, não importa a quem, desde que eu esteja bem primeiro. 

Só devemos colocar para fora nossas energias quando estamos positivos, em serenidade, em par com nossas crenças. Aí sim, podemos fazer a diferença. Eu penso assim.

Quando percebemos a vida em toda sua plenitude, complexidade e oportunidades, conseguimos ser gratos por estarmos vivos, vemos um novo dia como uma nova chance de fazer valer, não desistimos na primeira curva estreita nem no primeiro precipício e entramos em sintonia com quem somos e no que acreditamos, para assim, ligarmos a chave para uma vida tranquila e alegre.


Nenhum comentário:

Postar um comentário