Você pratica a beleza inteligente?

Você já se comparou com alguém por causa de uma foto ou vídeo no Instagram? Já ficou pra baixo por causa de uma vida que gostaria que fosse a sua? Já se sentiu mal, inconformado ou insatisfeito com você mesmo porque viu alguma coisa nas redes sociais?

Se respondeu sim, você não é o único.

Nesse mundo virtual em que estamos inseridos, é comum nos perdermos de nós mesmos e entrarmos em uma bolha de comparações sem fim. A vida no Instagram parece ser mais importante do que a vida fora dele. As pessoas, agora acreditam que tem que construir uma realidade "perfeita" para mostrar aos outros pela tela do celular. Tempos estranhos, né?

Eu não sou nenhuma especialista em psicologia ou em comportamento humano, mas serei especialista em mídias sociais em poucos meses, portanto, esse assunto me interessa bastante. Refleti, li, pesquisei, vivi, e hoje trouxe um pensamento sobre esses assuntos que precisam ser debatidos para a preservação de nossa saúde mental nas redes. 



A inteligência emocional é uma aliada essencial quando falamos de beleza inteligente.

Mas, como assim, beleza inteligente?

Tudo começa com a autoestima, o auto-amor, a maturidade. Quando a gente se admira (por dentro e por fora), praticamos o autoconhecimento, respeitamos nossos próprios limites e amadurecemos nossas questões emocionais por meio da racionalidade, a vida do outro perde a importância.

Porque devemos nos incomodar ou ficarmos tristes por algo que não é nosso? Devemos admirar o outro, aprender, ensinar... mas invejar, despejar negatividade, gastar energia com o impossível... aí já é demais, né?

Sejamos mais inteligentes! O que funciona pra mim, pode não funcionar pra você, e vice-versa; e eu estou falando de uma maquiagem, um produto, um cosmético ou até mesmo uma atitude, um acerto, um erro, uma escolha. Vamos valorizar o que de fato importa. Nossa saúde, bem estar, nossas relações interpessoais. 
Quando estamos bem com quem somos, com o que fazemos e com o que queremos, o resto é só o resto!

Entenda e potencialize seus pontos fortes. Trabalhe os fracos. Aceite seus defeitos, esbanje suas qualidades. É tão fácil cair na autosabotagem... mas pra quê ela serve mesmo?
Cuide de você! Não há nada mais precioso que nossa própria paz. Ninguém pode ter o poder de tirá-la de nós.



Nenhum comentário:

Postar um comentário