#CorridaAoOscar: A Garota Dinamarquesa x O Regresso

A maior premiação do cinema está chegando, e eu cinéfila que sou, não poderia deixar de falar dos dois filmes que eu mais achei interessantes, concorrentes à algumas categorias do Oscar, que acontece no próximo domingo dia 28 de fevereiro.

Vou falar sobre A Garota Dinamarquesa e O Regresso. Deixo claro que o motivo de eu falar desses dois filmes em especial, é o fato de ambos serem obras baseadas em fatos reais, os filmes entre si não compartilham semelhanças nem comparações consideráveis.

Começo por A Garota Dinamarquesa (The Danish Girl), que retrata a história da primeira transgênero que se submeteu à cirurgia de mudança de sexo conhecida no mundo. A história do pintor dinamarquês Einar Wegener que se descobre mulher e vira Lili Elbe me trouxe vários sentimentos: pena, orgulho, esperança, admiração. O filme (e a real história) se passa na década de 1920, quando os costumes, as pessoas e a medicina eram muito diferentes do que são hoje.

Eddie Redmayne como Lili Elbe
É um filme muito bem construído, que te faz viajar por um outro tempo. Eddie Redmayne está maravilhoso tanto como Einar quanto como Lili, e o filme nada mais mostra do que uma história de coragem, de uma pessoa se conhecer e se aceitar como é. Sem dúvidas, uma história forte e bonita que mostra as relações com os outros e a relação consigo mesmo. O ponto fraco do filme pra mim, foi a falta de cenas da vida do passado de Einar para explicar ao espectador como ele sempre foi uma mulher em seu interior. Ele "descobre" que se sentia mulher, quando sua esposa Gerda, também pintora, pede para ele se vestir com as roupas de uma mulher que seria modelo de uma pintura dela, mas que faltou ao encontro. Então, à primeira vista, foi uma descoberta feita "por acaso".

Alicia Vikander como Gerda/ Eddie Redmayne como Lili
Gostei muito da ideia de mostrar a história de uma pessoa com uma mentalidade à frente de seu tempo. Querer viver como se quer, por dentro e por fora, não era possível ou bem aceito naquela época em nenhum lugar do mundo. O que eu adorei também no filme foi a performance de Alicia Vikander, a esposa de Einar. É um papel forte, difícil e muito bem executado por uma atriz tão jovem! Senti dó e admiração por essa personagem que sofre e ao mesmo tempo se doa por uma pessoa que ama. Ela concorre ao Oscar como melhor atriz coadjuvante.

O verdadeiro Einar Wegener e depois Lili Elbe
A realidade da cirurgia de mudança de sexo, do ser humano se conhecendo e lutando, dos outros tempos da velha Copenhague, da arte e de um figurino estonteante você encontra em A Garota Dinamarquesa que está concorrendo em 4 categorias no Oscar: Melhor Ator para Eddie Redmayne, Melhor Atriz Coadjuvante para Alicia Vikander (espero que ganhe), Melhor Figurino (merece muito ganhar) e Melhor Design de Produção. É um filme bonito, contemporâneo e que traz uma história e perfomances memoráveis.

Fotos: Divulgação
Agora vamos para O Regresso, o filme com mais indicações esse ano no Oscar, são 12 no total.
O Regresso conta a história do explorador Hugh Glass que é atacado por um urso e deixado e dado como morto por seus companheiros de caça.
O filme dirigido e co-escrito pelo badaladíssimo diretor Alejando González Iñárritu concorre em diversas categorias importantes no Oscar como Melhor Ator para Leonardo DiCaprio (dessa vez vai!), Melhor Direção, Melhor Filme, entre outras.

Leonardo DiCaprio como Hugh Glass
O filme tem locações e efeitos especiais imperdíveis para quem gosta de cinema. Não é muito meu estilo de filme, mas ficou entre meus preferidos desse ano pela singularidade que ele traz. É um filme ligado na fotografia, na minutagem e traz Leonardo DiCaprio diferente. A atuação dele em O Regresso está tão boa que dá pra sentir nojo, pena, raiva. O trabalho de DiCaprio nesse filme está mais perceptível nas feições, nos gestos do que nas palavras. Ele mal fala nesse filme de quase 3 horas de duração!
Eu sou do time que acha que ele sempre foi injustiçado pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos Estados Unidos. De acordo com meu olhar de espectadora, ele mereceu várias estatuetas por vários papéis que interpretou e foram ignorados. J.Edgar por exemplo, como esse filme foi ignorado?

Equipe de Caça
O Regresso tem muita luta, caça, mortes, sangue. Tem reflexões, momentos parados, muito frio e momentos de desolação e tristeza. As câmeras são posicionadas de uma maneira que você se sente dentro do set de filmagens, é bem real e às vezes senti medo de tantas flechas e corpos no chão, confesso. A cena do ataque do urso não me agradou muito, mas foi bem violenta e deve ter retratado perto do que foi o acontecimento real.

Fotos: Divulgação

Gostei por ser diferente, mas ao mesmo tempo achei monótono. Acho que o que vale é a atuação de DiCaprio, a direção de Alejandro e o jogo de câmeras. É um filme diferente que não pode ser ignorado por quem gosta de cinema.

E aí, gostou das dicas? Se não viu ainda, corre pro cinema que ainda dá tempo!
Qualquer coisa é só comentar aqui embaixo ou me mandar uma mensagem no alissa.magalhaes@gmail.com

Até mais, beijos cinematográficos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário