Mudanças de consumo - Comportamento e Redes Sociais

Estamos vivendo tempos em que as mudanças de comportamento estão cada vez mais perceptíveis.

Há poucas semanas, falei aqui sobre a falência da Forever 21 e como o varejo vem sofrendo com a mudança de comportamento no consumo. A Barneys, império da moda americana, também está em decadência. Como entender a instabilidade no mercado da moda?

Hoje é dia de explicar um pouco sobre o papel das redes sociais nesta desconstrução do pensamento do consumidor.

Foto GQ/ Reprodução Google
O consumidor não é o mesmo da década passada. Hoje, o ex-passivo agora  influencia seu pequeno universo por meio de sua atividade nas redes sociais. Não é preciso ir para um espaço físico para fazer uma compra e é possível expor sua opinião (que pode destruir reputações ou construir carreiras) para que milhões de pessoas tenham acesso.

Existe claramente a evolução do usuário das redes sociais em conjunto com o desenvolvimento de todos os meios de comunicação. Nem tudo é aceito, existem critérios específicos antes de uma decisão ser tomada e, evidentemente, um poder de escolha que, agora, faz das pessoas seres mais conscientes, que buscam propósitos em vez de efemeridade.

Foto MLabs/ Reprodução Google


Nas redes sociais, você influencia e é influenciado. Se o Instagram dita que você precisa desapegar, explorar brechós, praticar o consumo consciente, evitar o uso do plástico, de carregar tantas sacolas e de comprar desmedidamente o que todo mundo compra, você simplesmente vai fazer isso. 

Somos seres previsíveis, geralmente vamos juntos com a manada, tanto faz se o destino vai ser bom ou se será questionável. Principalmente, tratando-se do novo modelo de vida trazido pelo digital e pelas mídias sociais, que já achamos que estamos acostumados e dominando, mas que na verdade só estamos mesmo é nos condicionando.

Empresários e varejistas espertos, já perceberam que para continuarem no mercado da moda, precisam estar mais atentos no que se passa nas redes sociais do que nas tendências que aparecem nos desfiles das semanas de moda internacionais.

Deve existir um propósito maior, como foi falado anteriormente. Um objetivo precisa ser alcançado por meio de qualquer decisão na sociedade moderna. Para falar, comprar, vestir e se expressar, é preciso ter identidade própria, relevância. E se vocês pararem para refletir, isso vale para praticamente tudo na vida, em todas áreas. 

Em pleno fim de década e começo de outra, se você é médico, empresário, varejista, modelo, professor, administrador, engenheiro, jornalista, empreendedor, dentista, psicólogo ou ocupa qualquer outra posição, significa que você é digital. Somos todos digitais. E é necessário entender nosso processo de adaptação a este novo jeito de viver e achar um equilíbrio. A palavra é transformação. Quem não acompanhar, ficará pra trás.

Nenhum comentário:

Postar um comentário